Com a recente união dos portfólios da Sinqia e Evertec, surge uma sinergia única que promete transformar o panorama do setor de pagamentos. Nesta entrevista, conversamos com Daniel Oliveira, vice-presidente de pagamentos da Evertec, para explorar a visão da empresa em relação às novas oportunidades de mercado que surgiram a partir dessa fusão, como por exemplo a criação de uma nova vertical de pagamentos.

Ao abordar a evolução da indústria de pagamentos, Daniel discute as tendências emergentes, como pagamentos por aproximação e a preferência por transparência nas transações. Ele destaca a crescente presença de inteligência artificial (IA) orquestrando transações e menciona experimentos recentes, como a integração de conta de pagamentos da Evertec no ChatGPT. Confira:

Com a união dos portfólios da Sinqia e Evertec, qual é a visão da empresa em relação às novas oportunidades de mercado que surgiram, especialmente no setor de pagamentos?

Estamos super empolgados com a fusão de negócios entre Evertec e Sinqia. Apesar de ter sido uma aquisição, estamos utilizando muito o termo fusão, pois há uma complementaridade muito grande entre as duas empresas. Temos pouquíssimas áreas de “sombra”, o que oferece oportunidades para vendas cruzadas de produtos e serviços.

Essa complementaridade, somada ao fato de termos começado a trabalhar juntos no final do ano passado – mas parece que estamos juntos há muito mais tempo -, é um indicativo do que é possível realizar nesse novo mercado, nessa nova fase. Ou, como o Bernardo Gomes [fundador da Sinqia] gosta de dizer, “nessa nova temporada”.

Como resultado dessa fusão, a Sinqia está lançando uma nova unidade de negócios voltada para o setor de pagamentos. O que os clientes podem esperar dessa iniciativa?

A Sinqia já tinha experiência com software para pagamentos, atendendo centenas de clientes na área bancária no Brasil. Essa nova vertical tem uma missão, que é fornecer tudo o que um banco digital, ou empresas em geral, precisam para atuar com pagamentos.

Então, ela surge também com a experiência da Evertec como processadora de pagamentos em vários países, tanto na parte de processamento de cartões para emissores, bancos e empresas de benefício, quanto na parte de adquirência para os credenciadores, que capturam transações com cartão.

A Evertec tem muita tradição e experiência nessa área. Inclusive, em fevereiro de 2023, comprou a paySmart, da qual sou um dos fundadores, também agregando a nossa experiência de processamento de cartões para emissores. Estamos juntando a plataforma paySmart às plataformas da Evertec e unindo essas forças com as da Sinqia, que tem vários produtos de pagamentos complementares. 

Estamos fazendo coisas muito interessantes, como conectar uma instituição de pagamentos da Evertec que já opera no Brasil e faz emissão de cartões para vários emissores, com o Pix e a infraestrutura da Sinqia.

Além disso, vemos que vários clientes da Sinqia poderiam se beneficiar com aplicativos de conta digital ou ter um cartão físico, virtual ou digital para oferecer pagamentos para seus usuários. Estamos plugando no ecossistema da Sinqia essas novas funções de processamento de pagamento, algo que já fazíamos há mais tempo na Evertec.

Por fim, a unidade de pagamentos tem a missão de ajudar qualquer empresa que queira oferecer pagamentos para seus clientes. Tentamos fazer isso de forma simples, utilizando APIs e maneiras fáceis de se conectar. Além disso, temos agilidade e histórico de subir novos emissores em menos de 30 dias. Queremos trazer essa experiência e agilidade para ajudar os clientes da Sinqia, e os novos clientes que surgem dessa combinação de Evertec e Sinqia.

Como você vê a evolução da indústria de pagamentos e como a Evertec/Sinqia estão se preparando para essas mudanças?

Antes de mais nada é importante falar de segurança. Segurança é um tema praticamente “higiênico”, mas não há como oferecer meios de pagamento sem se preocupar de forma contundente com segurança. É um tema complexo, que demanda muito trabalho – tanto para desenvolver e manter sistemas seguros, quanto para estar em conformidade com os principais padrões globais, como o PCI. Temos um histórico sólido de preocupação com segurança, utilizando tudo o que está disponível para proteger os dados dos usuários e as transações, mas queremos ir além disso. 

Uma das principais tendências de pagamentos, sobretudo no Brasil, é o crescimento de pagamentos por aproximação, seja por cartões ou celular. Quando começaram a ser usados no país, as pessoas tinham muito medo, tinham medo do cartão ser roubado, medo de que transações pudessem ocorrer sem o consentimento das pessoas.

Isso tem mudado. As pessoas com mais experiência de utilização estão desmistificando esses medos, o pagamento por aproximação agora faz parte do dia a dia das pessoas.  Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os pagamentos por aproximação em 2023 cresceram mais de 70,1% em 2023 em relação a 2022, com quase 1 trilhão de pagamentos com cartões e celulares no modo “contactless” em 2023.

Também percebemos uma preferência por pagamentos transparentes. Quando você usa um aplicativo de transporte e faz uma viagem, não precisa fazer nada; simplesmente o pagamento acontece de forma transparente, e você só recebe uma notificação. É outra tendência que deve continuar crescendo.

Cada vez mais teremos sistemas de IA orquestrando essas transações. Recentemente, fizemos uma experiência de integrar nossa conta de pagamentos com o ChatGPT para permitir que as pessoas façam consultas sobre seu extrato e operações em linguagem natural, em qualquer idioma. Veremos cada vez mais a inteligência artificial aplicada às transações, sem a necessidade de tomar micro decisões a todo momento. Teremos cada vez mais o auxílio de agentes para tomar essas micro decisões.

Também vemos que as pessoas estão mais exigentes em relação à experiência com pagamentos…

O consumidor hoje está muito mais exigente e plugado nas novidades, superando inseguranças e medos. Já percebemos que a maioria das pessoas está habituada a fazer pagamentos digitais no dia a dia e utilizar mais de um meio de pagamento. 

É natural que, ao surgir um novo meio de pagamento, as pessoas acreditem que ele vai dominar todos os outros. No entanto, historicamente, os meios de pagamento evoluem, e as pessoas usam mecanismos diferentes para resolver problemas diferentes.

Para dividir a conta do churrasco, é muito mais simples fazer um Pix, por exemplo; mas, para fazer uma compra que precisa de agilidade, é melhor usar o cartão por aproximação. 

Acreditamos muito nessa questão de não tentar determinar qual o meio ideal para as pessoas, mas permitir que as pessoas escolham o que faz mais sentido para elas, naquele momento e naquela necessidade.

Por fim, estamos caminhando para uma experiência cada vez mais hiperpersonalizada, com as pessoas configurando como querem pagar, onde querem pagar, e cada vez mais a IA ajudando a orquestrar isso e fazer micro ajustes.

Fale com
um especialista

Quer saber como nossos produtos e serviços ajudam você a superar seus desafios? Escreva pra gente


Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência de navegação, desempenho e personalizar o conteúdo do site.
Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade